Oficiais da PM do Rio são presos por suspeita de envolvimento com o tráfico

Posted On 09/10/2014

Filed under Uncategorized

Comments Dropped leave a response

o UOL, no Rio

A Secretaria de Estado de Segurança Pública do Rio de Janeiro deflagrou na manhã desta quinta-feira (9) uma operação para prender 16 policiais militares suspeitos de envolvimento criminoso com traficantes de drogas que atuam na Ilha do Governador, na zona norte da capital fluminense.

Dois oficiais da corporação foram detidos: o ex-comandante do 17º BPM (Ilha do Governador), coronel Dayzer Corpas Maciel, e o chefe do serviço reservado (P2) do mesmo batalhão, tenente Vítor Mendes da Encarnação.

Entre outros crimes, o grupo de policiais é suspeito de cobrar propina para liberar traficantes. Os PMs também são suspeitos de roubar cordões de ouro e relógios dos criminosos. Durante um dos episódios de extorsão, no dia 16 de março deste ano, os policiais teriam arrecadado R$ 300 mil, informou a Seseg. Apenas o comandante do batalhão teria recebido R$ 40 mil na transação.

A operação –batizada “Ave de Rapina”– foi desencadeada com base em relatório do setor de inteligência da Secretaria de Estado de Segurança Pública, que contou com o apoio do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), órgão do Ministério Público.

No mês passado, uma ação semelhante de combate à corrupção policial culminou com a prisão do chefe do COE (Comando de Operações Especiais), coronel Alexandre Fontenelle, e de outros 21 policiais.

Proximidade com chefe de facção

A investigação da Seseg e do Gaeco mostra que a quadrilha de PMs que agia na Ilha do Governador tinha relação de proximidade com o chefe da facção criminosa que tem o domínio do comércio de drogas na região, Fernando Gomes de Freitas, o Fernandinho Guarabu.

“De acordo com as investigações, os policiais militares denunciados possuíam estreito laço com traficantes de drogas, em especial com o traficante Fernando Gomes de Freitas, conhecido como Fernandinho Guarabu, identificado como chefe de facção criminosa”, informou a Secretaria de Estado de Segurança Pública, em nota.

Os agentes descobriram que, há sete meses, durante uma abordagem feita pelos PMs investigados, dois traficantes que estariam no alto escalão da quadrilha de Guarabu foram liberados pelos policiais, mediante pagamento de propina. Além disso, em posse dos criminosos, dois fuzis, houve a apreensão de fuzis, pistolas, granadas e munição. No entanto, todo o armamento foi negociado posteriormente com traficantes da mesma facção. (Com Agência Brasil)

Ampliar

Violência policial no Rio de Janeiro38 fotos

38 / 38

15.set.2014 – A Corregedoria da Polícia Militar e dois promotores do Ministério Público Estadual do Rio apreenderam R$ 287 mil na casa do major Edson Pinto de Goes, que está foragido. A ação foi resultado de uma operação que terminou com a prisão de 22 PMs acusados de extorsões na área do batalhão de Bangu, zona oeste da cidade, contra comerciantes ou motoristas de vans Divulgação/Secretaria de Segurança do Rio
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s